22 Fev 2017 1127
Clube do Sono
#clubedosono #dicas

Suores frios, coração acelerado e uma terrível sensação de não nos conseguirmos mexer enquanto dormimos… De miúdos a graúdos, todos já passamos pela experiência de acordar de um pesadelo. 

Apesar de ser muito difícil controlar a sua frequência, há alguns factores externos que podem transformar uma noite de sonho num autêntico pesadelo.

Afinal, o que é um pesadelo?

Um pesadelo é um sonho perturbador associado a sentimentos desconfortáveis como a ansiedade e o medo. Acontecem quando estamos na fase do sono mais profunda e sentimos as imagens de uma forma mais real.

Vamos ter pesadelos para sempre?

Estes sonhos repletos de medos e ansiedades começam por volta dos 3 anos de idade e tendem a diminuir depois dos 10 anos.

Nas crianças com mais de 5 anos são tão comuns que podem tê-los pelo menos uma vez por semana. 

Alguns especialistas do assunto afirmam que isto acontece porque na infância estamos constantemente em processo de aprendizagem e isso pode desencadear tensões e conflitos nas crianças. 

Para além disso, os mais pequeninos também se impressionam facilmente e qualquer lembrança, por mais inofensiva que seja, pode-se tornar num pesadelo e em muitas corridas para a cama dos pais.

Depois das crianças pequenas, são os adolescentes que têm mais pesadelos. Mais tarde, entre os 25 e os 55 anos, este tipo de sonhos diminui a sua frequência.

O que é que provoca os pesadelos?

Apesar de não haver uma fórmula para os controlar, há alguns fatores externos aos quais estamos expostos todos os dias que podem afetar os bons sonhos de um dorminhoco:

— Stress: O stress do dia a dia ou os eventos traumáticos que daí possam decorrer podem desencadear pesadelos;

— Ansiedade: É muito comum termos pesadelos como uma manifestação do nosso estado emocional. Grandes eventos ou fatores que deixem os dorminhocos mais calmos numa pilha de nervos — nascimento de um filho, casamento, uma prova importante — são suficientes para nos causarem sonhos dignos de um filme de terror;

— Eventos traumáticos: As nossas memórias, conscientes ou inconscientes, são importantes para determinar o caminho que o nosso sonho vai seguir, e no caso de experiências negativas como acidentes ou um crime, podem-se traduzir em pesadelos;

— Fatores externos: O nosso cérebro é um órgão muito curioso — nem durante uma boa noite de sono ele desliga completamente. 

Na verdade, é durante a noite que ele realiza alguns dos processos de "limpeza” mais importantes para a nossa memória. 

Outra prova de que ele não desliga nem enquanto dormimos é que durante o sono, se há alguma coisa que fisicamente nos incomoda, isso pode-se manifestar sobre a forma de um pesadelo.

Algum barulho em casa, quando não respiramos bem e ressonamos, quando não estamos confortáveis na cama ou não conseguimos encontrar a posição ideal, o nosso cérebro incorpora estes detalhes no sonho e pode torná-los em episódios angustiantes.

— Histórias assustadoras: Enganem-se se acham que apenas os mais novos têm pesadelos com histórias e filmes de terror. Quando ouvimos histórias, livros ou simplesmente conversamos sobre assuntos que nos metem medo, pode ficar na cabeça e criar pesadelos na hora de dormir.

Como prevenir um pesadelo?

Não há uma fórmula eficaz para controlar o aparecimento de sonhos menos bons, mas podemos tomar algumas atitudes para proteger as noites de sono:

— Se a criança ou o dorminhoco adulto se impressionam facilmente, não se exponham a histórias ou filmes assustadores antes de dormir. Mais vale prevenir do que remediar;

Diminuam o consumo de cafeína a partir do final da tarde;

Façam exercício físico durante o dia, já que o corpo liberta endorfinas que contribuem para o sono;

— Porque a comida acelera o metabolismo, evitem fazer refeições muito pesadas antes de irem dormir: se sentirem fome antes de dormir, façam um snack leve e que seja bem digerido pelo organismo;

Melhorem os vossos hábitos de sono: embora os pesadelos possam causar outro distúrbio assustador — as insónias — podem tomar algumas medidas para melhorar a qualidade do sono e prevenir noites mal dormidas e pesadelos.

Gostar Partilhar