21 Mai 2019 60
#adoroaminhacama #clubedosono #dicas

Coruja noturna ou pássaro madrugador: qual é o seu tipo?

Existem dois tipos de pessoas no mundo: as corujas noturnas, que se sentem mais enérgicas depois do cair do sol, preferem fazer as suas tarefas pela noite dentro e deitam-se tarde, e os pássaros madrugadores, que levam a peito a máxima "Deitar cedo e cedo erguer dá saúde e faz crescer” e por isso, se sentem mais produtivos durante a manhã.
Mas será que algum destes tipos é melhor que o outro? Devemos seguir aquela que é a nossa inclinação natural ou moldar-nos a uma rotina mais benéfica para a nossa saúde? E quais as diferenças entre os pássaros madrugadores e as corujas noturnas?

A apetência para se ser mais madrugador ou notívago é moldada por fatores biológicos e genéticos mas também pelo estilo de vida, estado de espírito e, claro, o sono. Nunca se esqueça que, seja uma coruja noturna ou um pássaro madrugador, a escolha de um bom colchão é um fator que faz toda a diferença na hora de ter um bom descanso.

Diferenças entre as corujas noturnas e os pássaros madrugadores




Hábitos

As pessoas que preferem levantar-se cedo tendem a consumir notícias e outro tipo de conteúdos através de canais tradicionais, como por exemplo a televisão ou um jornal impresso. Este estudo diz-nos ainda que quem se deita mais tarde prefere ver e ler notícias online.
Os investigadores concluíram, inclusive, que as corujas noturnas utilizam mais e adaptam-se melhor a novas tecnologias.


Performance Académica

Um estudo da Universidade de Chicago avaliou os resultados de 200 alunos que fizeram um exame de matemática que dá acesso a programas de MBA. Concluiu-se que, de forma genérica, as corujas noturnas obtiveram resultados mais elevados do que os pássaros madrugadores.

ADN

Os nossos genes também podem ter influência nas nossas rotinas. Já foram feitas várias pesquisas, incluindo uma que aponta para que algumas variações genéticas influenciem a predisposição para uma pessoa se levantar mais cedo.

Alimentação

A forma como comemos também influencia se somos mais madrugadores ou mais noctívagos.
Como se deitam mais tarde, as corujas noturnas também tendem a comer mais tarde que os pássaros madrugadores. Esta investigação diz-nos ainda que quem se deita mais tarde faz menos refeições, mas mais substanciais ao longo do dia, face aos que se levantam mais cedo.

Riscos para a saúde

No que diz respeito à saúde, as corujas noturnas perdem a vantagem face aos pássaros madrugadores. Quem se deita mais tarde tem uma maior tendência para sofrer de apneia do sono e ressonar, aponta um estudo.
Existem, inclusive, outras doenças e condições com maior impacto na vida das corujas noturnas, tais como o risco mais elevado de depressão, piores escolhas a nível alimentar, maior tendência para o consumo de álcool e tabaco e para aumento de peso e problemas de hipertensão. Ufa…

Não entremos, no entanto, em fundamentalismos. É perfeitamente possível ter uma rotina de sono mais tardia sem ter nenhum problema de saúde. Quer se deite cedo ou tarde, o mais importante é que durma um número de horas suficiente e que invista num bom colchão, uma peça chave para um sono mais reparador.
No entanto, se sente que passar a levantar-se mais cedo pode ser uma mudança benéfica, temos uma boa notícia para si: é possível mudar!

De coruja noturna a pássaro madrugador: a transformação

Se não tem uma rotina que o obrigue a levantar-se cedo, a mudança de coruja noturna para pássaro madrugador pode levar o seu tempo. A forma mais simples de introduzir a mudança é começar a deitar-se e levantar-se 15 minutos mais cedo, e ir aumentando o tempo gradualmente. Desta forma, o corpo vai-se habituando sem que haja o choque de acordar muito mais cedo de um dia para o
outro.

Se se sentir ensonado e sem energia durante este processo, pode sempre recorrer a um clássico: o café. Sem cair em exageros, claro. Dois a três cafés por dia são o suficiente para obter os benefícios da cafeína, que ajuda o cérebro a acordar e a eliminar os efeitos da adenosina, uma hormona do sono.

Fazer algum tipo de exercício físico leve é também uma boa opção - por exemplo yoga, alguns alongamentos ou uma caminhada. Aproveite e apanhe um pouco de sol - cerca de 30 minutos ao ar livre são o suficiente para retirar os benefícios da exposição solar. Uma dieta adequada e refeições a tempo e horas também fazem toda a diferença. Ah, e não se esqueça: a escolha de um bom colchão é determinante para que possa usufruir de uma noite de sono reparadora. Não hesite em contactar os especialistas da Colchaonet, que o aconselharão tendo em conta as melhores soluções.



Gostar Partilhar