10 Fev 2020 515

5 Problemas de Sono dos Casais e Como Resolvê-los

Viver a dois implica na maioria das vezes partilhar a mesma cama, o que nem sempre é fácil: as preferências de um podem prejudicar o sono do outro. Conheça aqui alguns dos problemas associados ao sono que os casais mais encontram bem como dicas para os solucionar.


Noites mal dormidas podem ter mais peso na sua relação do que imagina: quando se está privado de sono, a parte do cérebro que associa emoções a memórias não funciona regradamente, o que pode conduzir a reações exageradas ou à falta de atenção para com as emoções da outra pessoa. É comum a diferença de hábitos, horários ou até mesmo temperatura corporal entre casais prejudicar o sono de pelo menos um dos elementos. Um estudo realizado pela National Sleep Foundation concluiu que cerca de 12% dos casais dorme separadamente, um número que não representa más relações, pelo contrário: priorizar a qualidade de sono poderá converter-se em alterações significativas no humor que impactarão positivamente a relação.



RESSONAR

Ressonar é sem dúvida o problema que mais comumente causa disrupção nos hábitos de sono dos casais. Uma pessoa pode acordar cerca de 20 vezes por hora por causa de um parceiro que ressona, o que se traduz em média numa hora de sono a menos por noite. 


Solução:

Para ajudar a atenuar a situação, a pessoa que ressona deve evitar álcool à noite e deve dormir de lado, elevando, se possível, a cabeça. O parceiro que não ressona pode experimentar os benefícios de dormir com tampões no ouvidos ou fazer uso de uma máquina de ruído branco. Para além disso, na ColchaoNet dispomos de uma série de produtos de qualidade comprovada, eficientes na melhoria de questões associadas ao ressonar, como é o caso das almofadas anti-ressono: bit.ly/colchaonet_almofadas.

Enquanto ressonar ocasionalmente poderá ser uma mera inconveniência, ressonar profunda e consistentemente poderá ser um indicador de apneia do sono. Neste caso, e uma vez que este problema é mais facilmente identificado pelo parceiro do que pela pessoa que ressona, este deverá encorajá-lo a consultar um profissional de saúde, o que poderá traduzir-se numa qualidade de sono melhorada para ambas as partes. A ColchaoNet dispõe ainda da melhor seleção de camas articuladas, eficientes na resolução deste problema: colchaonet.com.


DIFERENTES HORÁRIOS DE SONO

Ter diferentes horários de sono por motivos biológicos, de trabalho ou por força do hábito pode prejudicar as relações. Se por um lado ao deitar-se duas ou três horas depois do parceiro, a coruja noturna pode interromper-lhe o ciclo de sono, o facto de um pássaro madrugador acordar cedo pode também despertar o parceiro antes deste estar preparado.  Um estudo demonstrou que um casal com diferentes horários de sono tem mais probabilidade de encontrar dificuldades na relação, o que se manifesta em mais conflito, menos tempo de qualidade e uma vida sexual menos ativa. Uma vez que alterar o horário de sono de um dos membros do casal poderá não ser a solução mais eficaz, porque esse padrão é definido, em parte, pelo ADN, descubra aqui outras sugestões.


Solução:

No que toca ao pássaro madrugador, este poderá deixar a roupa noutra divisão ou, se possível, usar a casa de banho mais distante do quarto na hora de se preparar para sair de casa, devendo ainda evitar carregar no "snooze” demasiadas vezes. Por outro lado, a coruja noturna deve comprometer-se a usar fones no caso de ouvir música ou optar por ver uma série, bem como a fazer a menor quantidade de barulho possível ao entrar no quarto, evitando vestir o pijama ou realizar qualquer outra atividade que perturbe o sono da outra pessoa e que possa ser realizada com antecedência. 


MOVIMENTAR-SE DEMASIADO

Um estudo comprovou que, para além de  ressonar, trocar de posição ou sair da cama para usar a casa de banho são as ações que mais prejudicam o sono das mulheres. Apesar de frequentemente as mudanças de posição serem inconscientes, existem medidas a tomar que poderão atenuar a situação.


Solução:

Na hora de lidar com este dilema, um colchão de qualidade é imprescindível (colchaonet.com): este deve ter capacidade para absorver o movimento, de modo a que um elemento do casal não desperte sempre que o outro trocar de posição. Outra possível solução passa por usar dois conjuntos de lençóis distintos: se as pernas e braços do casal estiverem envoltos em conjuntos diferentes, a probabilidade de ser perturbado de casa vez que o seu parceiro se movimenta diminui. O espaço extra de uma cama maior poderá também impossibilitar que um dos parceiros toque no outro sempre que se move.


TEMPERATURAS DIFERENTES

Regra geral é comum preferir uma temperatura mais fria na hora de deitar, no entanto há uma larga margem de exceções. Passar a noite a tremer de frio ou a transpirar devido ao calor: nenhum dos cenários é ideal. Como resolver esta questão?


Solução:

À partida será mais eficaz a pessoa que prefere calor adaptar-se à preferência por temperaturas mais baixas do outro, uma vez que é mais fácil aquecer o corpo do que arrefecê-lo. Para os que preferem o calor, poderão optar por pijamas mais quentes ou dormir com um cobertor extra.

Para quem prefere temperaturas mais baixas, poderá dormir por cima do lençol ou edredom, ou colocar os pés fora dos cobertores, uma vez que o calor se dissipa do corpo através dos pés mais rapidamente do que através de qualquer outra parte do corpo. Poderá ainda colocar uma ventoinha no seu lado da cama ou optar por uma cama maior uma vez que deste modo será menos afetado pela temperatura corporal do parceiro. Lembramos ainda que a temperatura ideal do quarto é entre os entre os 18ºC e os 20ºC.


ECRÃS NA HORA DE DEITAR 

Enquanto que para algumas pessoas não há nada mais reconfortante do que adormecer com o barulho de fundo da TV ou do telemóvel, para outras a luminosidade dos ecrãs e a conversa em segundo plano prejudica profundamente o sono. Como satisfazer as necessidades de ambas as partes?


Solução:

Antes de mais, importa mencionar que telemóveis, computadores, tablets e Tvs perturbam a qualidade de sono em dois níveis: por um lado é psicologicamente estimulante interagir com estes dispositivos e por outro, fisicamente, a luz que emitem impede a produção de melatonina, a hormona do sono. Acresce ainda que este tipo de dispositivos estão frequentemente associados ao trabalho,  o que pode provocar stress e dificultar noites de sono pacíficas. 

Se ainda assim o seu sono está condicionado pelo contacto com este tipo de aparelhos, deve colocar fones ou, no mínimo, diminuir o som o máximo que conseguir. A luminosidade deve também ser reduzida  e, no caso do parceiro que prefere adormecer sem o contacto com este tipo de ecrãs, usar uma máscara de olhos poderá ser uma boa opção. 


RESUMINDO...

Apesar das incompatibilidades em termos de sono entre os casais serem comuns, estas não devem ser encaradas como uma inevitabilidade. Pequenas diferenças nas rotinas de ambos poderão futuramente gerar um grande impacto na saúde de cada um. É essencialmente necessário encontrar um meio termo: o que facilita o sono de um deverá ser moderado de modo a não prejudicar o sono do outro. Acima de tudo, recorde-se que a procura de soluções para problemas de sono não deve ser adiada, uma vez que noites mal dormidas influenciam em larga escala o seu humor e capacidade de controlar emoções, o que posteriormente se pode repercutir na qualidade da sua relação. 


Gostar Partilhar